2021 já é o terceiro ano com o pior índice de queimadas registradas no Amazonas

AM: 2021 já é o terceiro ano com o pior índice de queimadas registradas

Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe), no Amazonas, o ano de 2021 já é o terceiro com o pior índice de queimadas registradas no estado. Entre janeiro e os primeiros dias de novembro, já foram registrados mais de 14.600 focos de incêndio.

Desde 1998, quando o órgão começou a registrar as queimadas, só dois anos tiveram números maiores. 2005, com 15.644 focos e 2020 com 16.729, em todo o ano.

2021 já é o terceiro ano com o pior índice de queimadas registradas no Amazonas
2021 já é o terceiro ano com o pior índice de queimadas registradas no Amazonas. Foto: Victor Moriyama

O pesquisador Alberto Waingort, da equipe de queimadas do Inpe, cobra mais recursos, ações e coordenação para combate às queimadas na Amazônia. (ouça)

Além disso, o mês de outubro de 2021 teve o maior número de queimadas no Amazonas nos últimos cinco anos. Foram 1.773 focos registrados. A última vez que o mês havia tido números tão altos foi em 2016, quando foram contabilizados 1.913 focos.

Durante o ano, outubro é o 3º mês com maior número de queimadas. Os meses que registraram maiores índices foram agosto, com 8.588 e setembro, com 2.799 focos de incêndio registradas no Amazonas.

Além disso, a Amazônia Brasileira registrou o segundo pior mês de outubro da história em alerta de desmatamento. A região registrou uma área de 796 quilômetros quadrados sob alerta de desmatamento até 29 de outubro. A Amazônia corresponde a 59% do território brasileiro, e engloba a área de 8 estados (Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e parte do Maranhão. O biólogo Rômulo Batista, da campanha Amazônia do Greenpeace, avalia: (ouça)

Em agosto de 2021, os registros de queimadas no Amazonas também atingiram um recorde histórico para o mês, pelo 3º ano consecutivo. Foram registrados 8.172 focos de incêndios.

Reportagem: Guilherme Guedes