Exclusiva | Sindicatos que representam professores defendem testagem em massa de alunos e dizem que protocolo da Seduc é ineficaz

A presidente do Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus (Asprom Sindical), Helma Sampaio, afirma que as medidas de proteção tomadas pelo Governo do Amazonas nas escolas públicas não são efetivas. “Nós estamos visitando as escolas e estamos observando que esse protocolo não funciona além de ser inútil”, disse. 

Segundo Helma, as escolas não têm janelas com circulação de ar, faltam lixeiras com pedal e os aferidores de temperatura não funcionam. As declarações ocorreram nesta segunda-feira (31) durante o quadro Exclusiva, do programa Alta Frequência Manaus da BandNews Difusora, apresentado pelas jornalistas Rosiene Carvalho e Thaís Gama.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, também foi convidada. Ela manifestou preocupação com a quantidade de casos entre os professores. De acordo com Ana Cristina Rodrigues, 20 profissionais testaram positivo para Covid-19 na Escola Estadual Senador Manoel Severiano Nunes, bairro Alvorada II, zona Centro-Oeste de Manaus. 

A presidente do sindicato defendeu que o estado deve fazer testagem em massa nos alunos. “Hoje se vê a banalização da morte quando se diz que morreram apenas seis pessoas, mas seis pessoas são seis famílias em luto. Se morre uma pessoa é muita coisa. Vida não tem retorno”, afirma.

Seduc
A produção da BandNews Difusora fez o convite para o titular da Seduc, secretário Luis Fabian, mas a pasta informou que não poderia atender a solicitação de entrevista. 

Da redação

Fotos: Divulgação


compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email