MPC move ação contra a realização do festival de Parintins

O Ministério Público de Contas do Amazonas, por meio da procuradora de Contas Fernanda Cantanhede Veiga Mendonça, representa e pede liminar contra o prefeito Bi Garcia, em virtude da potencial realização do Festival Folclórico de Parintins, previsto a ser realizado em novembro deste ano.

Segundo Fernanda Mendonça, há potenciais vícios na realização do Festival, entre esses a violação às normas de saúde pública e de combate ao novo coronavírus.

Ainda de acordo a procuradora, o Amazonas ainda se encontra num cenário extremamente preocupante de pessoas infectadas, com oscilações diárias, e não se sabe ainda quais serão os impactos desta volta de circulação de pessoas em locais públicos.

A Representação faz referência a condução do evento pela AmazonBest. “Parenta ser um rebuscado esquema arquitetado com o intuito de se valer do dinheiro público para angariar proveitos em favor de particulares envolvidos na realização do Festival, bem como aparenta envolver uma série de irregularidades envolvendo condutas de responsabilização fiscal do gestor”, disse.

Ao final da Representação, a procuradora de Contas Fernanda Mendonça pede liminarmente que a Prefeitura de Parintins se abstenha de realizar qualquer novo ato administrativo e potencial dispêndio referente a realização do Festival previsto para novembro de 2020, ainda, que a Amazon Best suspenda a venda de ingressos e seja realizado estudo técnico científico que indique a possibilidade e a forma de execução do evento, devendo o estudo ser conduzido por entidade sanitária especializada em infectologia viral, devidamente autorizada pelo Ministério da Saúde.

Outro lado

A Secretária Municipal de Cultura, Turismo e Eventos de Parintins, Karla Viana, disse que ainda não teve acesso a representação do MPC e que vai verificar para saber se a prefeitura já foi notificada.

Karla Viana afirmou ainda que a definição de datas do festival é a cargo do governo estadual não do município.

A BandNews Difusora tentou contato com a responsável pela venda dos ingressos, mas não obteve sucesso.

Da redação

Reprodução/Secom

compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email