MPAM abre investigação para apurar mortes de pacientes por Covid-19 devido ao uso de cloroquina

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) abre investigação para apurar mortes de pacientes com coronavírus que usaram a cloroquina no Amazonas.

O documento, assinado pelo promotor Edinaldo Aquino Medeiros e publicado no Diário Oficial do órgão, pede esclarecimentos sobre o estudo “CloroCovid-19” e as mortes dos pacientes submetidos às testagens com uso do medicamento Cloroquina.

O procedimento está na primeira fase da investigação, que consiste na requisição e análise dos documentos.

O MP pede que a Fundação de Medicina Tropical apresente, em dez dias, a documentação integral, relatórios, carta de aprovação do conselho de ética e documentos relacionados ao financiamento da pesquisa.

No mesmo prazo, o Hospital Delphina Aziz, que é referência no tratamento de pessoas com coronavírus, deve apresentar a lista com identificação de todos servidores efetivos ou prestadores de serviços envolvidos no estudo além de documentação integral com identificação de todos pacientes submetidos ao medicamento.

O promotor pede ainda que o médico responsável pela pesquisa, Marcus Vinícius Guimarães Lacerda, apresente cópia integral dos estudos.

Em abril deste ano, o Governo do Amazonas suspendeu o uso da cloroquina em alta dosagem nos pacientes graves da Covid-19 .

Na época, o médico Marcus Lacerda já afirmava que o estudo revelaria que o remédio pode ser tóxico para o coração e até levar pacientes em estado grave, à morte. Ouça:

O promotor Edinaldo Aquino Medeiros pede ainda que a Comissão Nacional de Ética e Pesquisa apresente a documentação do registro de aprovação da pesquisa “CloroCovid-19” e os resultados obtidos.

Da redação

Foto: Agência Brasil

compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email