Amazonas lidera o ranking de estados com mais ocupações periféricas o que pode contribuir para a disseminação do coronavírus

Um estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nessa semana aponta que mais da metade dos mais de 650 mil domicílios de Manaus, estão localizados em ocupações periféricas chegando a 53,3%.

A capital do Amazonas, fica apenas atrás de Belém do Pará, que lidera o ranking com 55% dos chamados aglomerados subnormais.

Em relação ao Amazonas, o estudo indica que para uma população de mais de 4 milhões de habitantes, existem aproximadamente 1 milhão de moradias, desse total, 393 mil são ocupações periféricas, representando mais de 34,59%, o maior porcentual entre os estados brasileiros. Ouça o boletim na íntegra:

Reportagem: Ricardo Chaves
Foto: Reprodução/USP

compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email