Estados do norte não tem estrutura para receber vítimas com quadros mais graves do novo coronavírus

Apesar do Brasil cumprir os requisitos mínimos de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para cada dez mil pessoas recomendado pela Organização Mundial da Saúde, um levantamento realizado pela Agência Pública aponta uma distribuição desigual de UTIs.

Em Roraima, o número de leitos de UTI por habitante não atinge nem a média do país que é de 2 para cada dez mil.

No estado do Pará, apenas a capital Belém está dentro da média recomendada pela OMS.

O Amazonas possui atualmente mais de 500 leitos de UTI, somando os números da rede hospitalar pública e particular. Ouça o boletim na íntegra:

Reportagem: Luciana Cardoso, com produção de Ricardo Chaves
Foto: Agência Brasil

compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email