Wilson Lima solicita apoio do Governo Federal no combate às queimadas no AM

O governador Wilson Lima assinou, neste sábado (24/08), uma carta destinada ao Governo Federal solicitando apoio material para o combate efetivo ao desmatamento no Amazonas e incremento às ações de fiscalização de atividades ilegais. A assinatura aconteceu na sede da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), no bairro Parque Dez, zona centro-sul de Manaus. Após a assinatura, o governador seguiu para o Sul do Amazonas, onde realizará sobrevoo para averiguar a situação das queimadas.

Na carta encaminhada à presidência da República, o governo solicita apoio material para o combate às ações de desmatamento e um suporte para fortalecer as ações que já estão sendo lideradas pelo Governo Estadual.

O ofício também solicita providências imediatas para viabilizar a cooperação dos governos estaduais da Amazônia Legal com o Governo Federal.

Monitoramento – Acompanhado do secretário da Sema, Eduardo Taveira, e do presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente, o governador visitou a estrutura onde opera a nova metodologia geotecnológica utilizada pelo Ipaam para identificar queimadas e desmatamentos ilegais, permitindo autuar os infratores sem a necessidade de operação em campo.

Falsas informações –

Wilson ainda destacou a importância da divulgação exata de informações sobre o desmatamento. Impactos podem atingir o setor de turismo no estado, e possíveis investimentos na Amazônia.

Como denunciar –
Os casos de queimadas irregulares podem ser denunciados ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) por meio dos telefones ‪(92) 2123-6715‬ e ‪2123-6729‬, das 8h às 17h, ou pelo ‪(92) 98455-7379‬ (WhatsApp).

Além disso, elas também podem ser registradas pessoalmente na sede do Ipaam, localizado na avenida Mário Ypiranga, 3.280, Parque Dez, zona centro-sul de Manaus, ou pelo e-mail denuncia@ipaam.am.gov.br. No interior, os casos podem ser denunciados às Secretarias Municipais de Meio Ambiente.

Em caso de emergência, o cidadão pode acionar o Corpo de Bombeiros por meio do telefone 193.

Aproximadamente 44 mil militares devem atuar nas áreas de fronteira e de conservação ambiental.

O governo federal já confirmou que os estados de Roraima, Rondônia, Tocantins e Pará pediram ajuda do Executivo para combater incêndios florestais.

compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email